O ex-presidente americano Donald Trump comentou sobre a escalada da Rússia na Ucrânia, lamentando o fato do atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, estar no poder da maior potência militar do planeta, justamente agora. Segundo o bilionário, o resultado disso é que a China poderá seguir o exemplo de Putin, invadindo Taiwan.

“Penso que ele vê esta oportunidade. Eu sabia que ele sempre queria a Ucrânia. Eu costumava falar com ele sobre isso. Eu disse a ele: ‘Você não pode fazer isso, não vai fazer’, mas pude ver que ele queria. Costumávamos falar longamente sobre o assunto”, disse Trump

Trump disse acreditar que se ele estivesse no comando dos EUA, a invasão russa à Ucrânia jamais teria ocorrido. O empresário acredita que Putin se viu livre para avançar em um momento onde o seu grande rival está sendo comandado por um presidente omisso e visto como fraco por muitos.

Trump também destacou que ao reconhecer os territórios ucranianos de Lugansk e Donetsk como independentes, Putin agiu de forma inteligente, pois aproveitou um conflito já existente nessas regiões desde 2014, para alegar que agora precisará enviar “forças de paz”, o que significa suas tropas.

Na prática, Putin fez uma manobra militar que significa invasão, mas sob o argumento diplomático de manutenção da paz em regiões já em disputa no território ucraniano. Ironizando, Trump disse que os EUA, se quisesse, poderia usar os mesmos argumentos para invadir o México.

“Eu vi ontem pela televisão, e eu disse: ‘Isso é genial’. Putin declara uma grande parte da Ucrânia – da Ucrânia – independente. Ah, isso é maravilhoso”, disse Trump ao apresentador Buck Sexton, segundo a Gazeta do Povo.

“Eu disse: ‘quão inteligente é isso?’ Ele vai entrar e ser um mantenedor da paz. Nós poderíamos usar isso em nossa fronteira sul. Essa é a força de paz mais forte que eu já vi. Havia mais tanques do exército do que eu já vi”, continuou o ex-presidente. “Aqui está um cara que é muito experiente… Eu o conheço muito bem. Muito, muito bem”.