As Polícias Civil e Militar de Goiás estão empenhadas numa megaoperação de buscas por Wanderson Mota Protácio, na zona rural de Abadiânia (GO), no Entorno do Distrito Federal. Ele é suspeito de matar a própria mulher, que estava grávida de quatro meses, a enteada de apenas 1 ano e um fazendeiro.

Os crimes ocorreram neste domingo (28/11), na região de Corumbá de Goiás, a 111 quilômetros de Goiânia. O rapaz conseguiu fugir durante a madrugada, após uma série de ações – furto de arma de fogo e roubo de veículo -, que lembra o que ocorreu durante o caso Lázaro, em junho deste ano.

Desde as buscas que mobilizaram as forças de segurança de Goiás e do DF por Lázaro Barbosa, esta é a primeira vez que a policia goiana reúne forças de várias cidades para encontrar um foragido.

Wanderson teria saído dos limites de Corumbá de Goiás e adentrado o território de Abadiânia, onde integrantes da PM de cidades da região estão concentrados. A PMGO não informou o efetivo escalado para integrar a operação.

Em nota, a Polícia Civil disse nesta tarde que foi criada uma força-tarefa envolvendo agentes de Anápolis e até da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais. “As equipes tentam localizar o suspeito para efetuar a prisão ainda em flagrante delito”, diz o texto.

Wanderson teria assassinado a esposa grávida e a enteada de 1 ano e 8 meses a facadas. Em seguida, fugiu deixando um rastro de novos crimes pela região de Corumbá.

Ao sair de casa, foi até a fazenda do patrão, onde teria furtado um revólver com seis munições. De lá, prosseguiu para uma propriedade rural vizinha, onde teria matado o fazendeiro a tiros para roubar a caminhonete dele.

Conforme o relato da polícia, nesse mesmo endereço, Wanderson teria, ainda, tentado estuprar a mulher do fazendeiro.

Com a caminhonete e um revólver, ele prosseguiu pela rodovia GO-225, onde parou em um determinado ponto e abandonou o veículo. A polícia encontrou a caminhonete logo depois, mas sem sinais do paradeiro de Wanderson.

Policiais militares e civis seguem, agora, fazendo buscas nas matas e fazendas entre Abadiânia e Corumbá. Moradores relataram nas redes sociais que há um intenso movimento de helicóptero na região. Com: Metrópoles