General sobre ministros do STF: “Ao povo não falta vontade para jogá-los no lixo”

O general Paulo Chagas, do Exército Brasileiro, fez uma declaração polêmica nesta quarta-feira (01/09) através das redes sociais, ao insinuar que os ministros do Supremo Tribunal Federal poderão ser punidos e até jogados “no lixo” da história pela população, após segundo ele terem ultrapassados limites.

“Como Júlio Cesar, os Min do STF ultrapassaram limites, ignoraram o risco da travessia do Rubicão e, acreditando na proteção da toga, esqueceram das 23 facadas q depuseram o imperador. Q isso os alerte, pq, se ao Senado faltam facas, ao povo ñ falta vtd p/jogá-los no lixo da história!”, escreveu o militar da reserva.

Paulo Chagas fez uma comparação ao imperador romano Júlio César, que atravessou o rio Rubicão, situado entre a Gália Cisalpina e a Itália em 11 de janeiro de 49 a.C. Naquela época o Senado romano proibia qualquer general de ultrapassar essa fronteira.

A publicação de Chagas parece ter sido uma resposta a um artigo publicado pelo ministro Ricardo Lewandowski no jornal Folha de S. Paulo no dia 29 do mês passado, poucos dias antes da manifestação prevista para o 7 de setembro. O texto intitulado “Intervenção armada: crise inafiançável e imprescritível” prevê a punição de quem “ultrapassar o Rubicão”.

O general Chagas, portanto, pegou emprestada a alegoria feita por Lewandowski e relembrou um texto publicado por ele em 2018, onde o militar também já havia feito uma comparação ao caso de Júlio Cesar para criticar os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e o próprio Lewandowski.

Na lembrança atual, no entanto, feita nesta quarta-feira, o general destacou que os ministros “ultrapassaram limites”. No Facebook, Chagas também citou diretamente o artigo de Lewandowski e deixou claro que as regras defendidas pelo ministro também vale para os membros do STF.

“Qualquer vivente que ultrapassar o Rubicão está sujeito ao castigo prometido, aí incluídos os Ministros do STF!”, afirmou o general.