Generais apoiam discurso de Bolsonaro pelo voto impresso por temerem fraude, diz CNN

Pelo que tudo indica, a defesa que o presidente Jair Bolsonaro vem fazendo pela implementação do voto impresso no Brasil possui um apoio de peso: as Forças Armadas. É o que sugerem os generais ouvidos pela CNN Brasil acerca do tema, o qual eles também consideram importante.

Segundo a emissora, o fato do ex-presidiário Luis Inácio Lula da Silva ter se tornado elegível para 2022, após uma série de decisões judiciais no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF), pode ser um sinal de que uma fraude eleitoral pode, de fato, acontecer no Brasil.

“Eles veem a reeleição do presidente Jair Bolsonaro sob alto risco e avaliam que o aval jurídico que permitiu a Lula participar da eleição de 2022 é um sinal de que pode haver fraude na eleição”, diz a CNN Brasil.

“Por isso, endossam o discurso do presidente pelo voto impresso. Generais da ativa e da reserva com quem a CNN conversou defendem a implementação do voto impresso e a defesa que Bolsonaro faz dele, mas não deixam clara sua posição caso ele não seja implementado e como se posicionarão se Bolsonaro for derrotado”, destaca a emissora, sem revelar os nomes dos militares ouvidos.

Essa posição, aparentemente da maioria da ala militar, é o que também parece alimentar os rumores de que o ministro da Defesa, general Braga Netto, teria enviado um recado ao presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmando que sem o voto impresso não haverá eleições em 2022.

A informação publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, no entanto, foi desmentida por Lira e também pelo ministro. A questão é: se fosse verdade, será mesmo que eles iriam confirmar, sabendo que isso poderia gerar uma crise antecipada para o governo?