Fora da Casa Civil, general Ramos se mantém leal: “Sou um soldado, cumpro missão”

Diferentemente do que parte da mídia fez parecer, o agora ex-ministro da Casa Civil, general Luís Eduardo Ramos, não rompeu seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro por ter sido demitido do cargo. Ele negou insatisfação. Em vez disso, demonstrou lealdade ao deixar claro que é “um soldado” disposto a cumprir missões.

“O presidente é ele, eu sou soldado, cumpro missão. Aprendi, em 47 anos de vida militar, que soldado não escolhe missão. Se ele me der outra no governo, eu aceito”, afirmou o general. Ele explicou que a sua substituição não foi por incompetência, mas por estratégia política do presidente.

“Eu estava, aliás, ainda estou muito feliz na Casa Civil e dei o melhor de mim. Tanto que estou recebendo telefonemas de parlamentares de vários partidos, em solidariedade. Se eu estivesse sendo trocado por alguém formado em Oxford, ou Harvard, tudo bem, poderiam dizer que falhei. Mas é por um político aliado do presidente, é assim que funciona”, disse ele, segundo o UOL.

Ramos, que agora ocupa o cargo de Secretário-Geral da Presidência no lugar de Onyx Lorenzoni, que por sua vez vai para uma nova pasta criada a partir de um desmembramento da Economia, postou um vídeo onde aparece ao lado de Bolsonaro em diversos momentos.

“Servi ao Exército honrosamente por 47 anos. Deixei a Caserna por outra nobre missão no corajoso governo de @jairbolsonaro, que luta contra o establishment em defesa dos brasileiros. Erra feio quem ousa pensar que me arrependo das minhas escolhas. Valeu, vale e valerá a pena!”, comentou o general. Assista: