O deputado federal Otoni de Paula, que também é pastor evangélico, tem feito críticas reiteradas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), chamando atenção até mesmo para o possível desencadeamento de uma “guerra civil” e “derramamento de sangue” no Brasil.

Como resultado, o ministro Alexandre de Moraes, responsável pelo polêmico inquérito das “fake news”, o qual é acusado de ser ilegal por críticos do magistrado, resolveu intimar o parlamentar a depor na Polícia Federal, a fim de dar explicações sobre as suas críticas recentes.

“Encaminhe-se referida mídia à autoridade policial designada nestes autos para oitiva do deputado no prazo de 48 horas, para que esclareça as agressões verbais realizadas contra essa CORTE”, disse o magistrado, segundo a Veja.

Em um vídeo publicado semana passada, por exemplo, Otoni comparou os ministros do STF ao “vírus” que assola o Brasil, dizendo que se a oposição ao governo Bolsonaro tentar aplicar um golpe no presidente, terá como reação a força da população.

“Vai ter guerra civil nesse país, tá? Não, aqui não tem nenhuma ameaça não. Quem sou eu para ameaçar? Eu só estou avisando para que, quando acontecer, vocês não digam que eu não avisei”, disse o deputado na gravação.

“Quem disse que Bolsonaro precisa de Forças Armadas? Enquanto tiver pá, enxada e foice, ninguém tira o presidente da Presidência da República. Vai ter golpe e não vai ter contragolpe?”, questionou o parlamentar.

“Vocês acham que vai ter golpe e todo mundo vai ficar quietinho, porque nós temos medo da pandemia? Os vírus são vocês, seus vagabundos, seus filhos de satanás. O vírus deste país é o STF, são os bandidos e alguns que estão no Congresso Nacional”, completou Otoni.

Em uma entrevista para o Pleno News, Otoni de Paula comentou sobre a intimação para depor nesta quarta-feira (28).

“Eu tenho medo, eu tenho receio e estou alertando quem está pensando em fazer um golpe contra o presidente Bolsonaro: Vocês não estão preparados para a ação popular. Vocês vão gerar uma guerra civil no Brasil. Vai haver derramamento de sangue de brasileiros, se vocês forem irresponsáveis em tentar derrubar o presidente”, declarou.