Novo ministro da Defesa troca diretor-geral da Polícia Federal e da PRF

O recém-empossado ministro da Justiça, Anderson Torres, anunciou nesta terça-feira (6) em uma rede social o delegado Paulo Maiurino como novo diretor-geral da Polícia Federal.

Maiurino substituirá Rolando de Souza, que estava no cargo desde maio do ano passado. Ele será o terceiro diretor-geral da PF desde o início do governo Jair Bolsonaro.

O novo chefe da corporação chegou a ser cotado para o cargo no ano passado, depois que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou a suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem para o posto.

Maiurino será subordinado a Anderson Torres, que tomou posse na manhã desta terça em cerimônia no Palácio do Planalto. Durante a posse, referindo-se às polícias Federal e Rodoviária Federal, o presidente Jair Bolsonaro disse que “mudanças são naturais”. A declaração antecipou a informação de que haveria troca no comando das duas corporações.

Na tarde desta terça, ao anunciar a troca, Torres escreveu em uma rede social: “Agradeço ao Dr. Rolando Souza pelo período em que esteve à frente da Direção-Geral da @policiafederal. Iniciamos hoje o processo de transição do cargo para o Dr. Paulo Maiurino, a quem desejo felicidades nessa importante função no @JusticaGovBR.”

Em seguida, também em rede social, Torres anunciou Silvinei Vasques como novo diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Vasques era até então superindente da instituição no Rio de Janeiro. Segundo seu currículo na plataforma Lattes, Vasques é inspetor da PRF desde 1995.

Segundo perfil na página do próprio Maiurino em uma rede social, o novo diretor-geral da PF trabalha como assessor especial de Segurança Institucional do Conselho da Justiça Federal (CJF) e atuou até setembro do ano passado como secretário de Segurança do Supremo Tribunal Federal (STF). Também atuou no governo estadual de São Paulo como subsecretário de Segurança Pública (2018) e secretário de Esportes (2016-2018).

De acordo com o perfil, Maiurino é delegado desde 1998, chefiou a Interpol no Brasil (2009-2010), trabalhou como assessor de Relações Internacionais da Polícia Federal (2008-2009) e chefiou os departamentos de Organização e Métodos da Diretoria de Administração e Logística da PF; Planejamento e Controle; e a delegacia da PF no Chuí (RS). Com: G1