Políticos lamentam a morte de Major Olímpio, que serviu à Polícia Militar por 29 anos

A morte do senador Major Olímpio, vítima do coronavírus, comoveu a classe política nesta quinta-feira (18). Apoiadores e também críticos do político se manifestaram nas redes sociais, prestando solidariedade à família do parlamentar.

“Lamento a notícia devastadora sobre o falecimento do senador Major Olímpio, mais uma vítima da Covid-19. Conheci Olímpio na Câmara dos Deputados, quando exercemos mandatos de deputados federais na legislatura passada. Entramos juntos no Senado em 2019, ele de SP e eu de MG”, comentou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Major Olímpio havia contraído o coronavírus e estava internado desde o dia 2 de março no Hospital São Camilo, na capital paulista, e no dia 5 de março foi transferido para uma unidade de tratamento intensivo (UTI). Nesta quinta, teve morte cerebral.

“Com muita dor no coração, comunicamos a morte cerebral do grande pai, irmão e amigo, Senador Major Olímpio. Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmar o óbito e está verificando quais órgãos serão doados. Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”, diz a conta do parlamentar no Twitter.

“É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento do senador Major Olímpio na tarde desta quinta-feira. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos”, afirmou o presidente da Câmara, Arthur Lira.

O procurador da República e ex-coordenador nacional da operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, destacou que Olímpio foi um grande defensor do combate à corrupção.

“Notícia triste. Deixo meus profundos sentimentos à família e uma homenagem ao Major Olímpio, um dos Senadores mais dedicados aos esforços da sociedade brasileira contra a corrupção. Fará muita falta não só à família, mas também ao país”, disse ele em sua rede social.

Policial por quase 30 anos

Major Olímpio ingressou na carreira política muito depois de servir à Polícia Militar. Ele atuou no estado de São Paulo por 29 anos, onde ficou conhecido e acabou se tornando um dos principais nomes no cenário político local.

Foi deputado federal por dois mandatos e também era bacharel em ciências jurídicas e sociais, titulação obtida ao concluir da Academia do Barro Branco da Polícia Militar. Também foi professor de educação física e de técnica em defesa pessoal, além de ter sido instrutor de tiro, segundo o G1.