O policial militar e deputado federal Daniel Silveira, preso no começo do mês por ordem do Supremo Tribunal Federal, assinou uma nova filiação partidária com o PTB, partido presidido por Roberto Jefferson, após o mesmo ser afastado do PSL.

O núncio foi feito pelo próprio Jefferson em sua conta oficial no Twitter. Silveira foi preso por ordem de Alexandre de Moraes, em ação conjunta com o ministro Luiz Fux, após divulgar um vídeo desferindo ofensas contra os ministros do STF.

A Câmara dos Deputados reconheceu a prisão do STF em um julgamento inédito no país, na última sexta-feira (19). Jefferson tratou o PM licenciado para o cargo de deputado como um “herói” ao anunciar a sua filiação.

“O Deputado Daniel Silveira, na prisão, acaba de assinar a ficha de filiação ao PTB. Seja bem-vindo heróico deputado. Daremos sangue por você. Nós não abandonamos o soldado ferido”, afirmou o presidente da sigla.

A foto onde Daniel Silveira e Roberto Jefferson aparecem juntos, no entanto, não é da prisão onde se encontra o deputado. Ela foi tirada em agosto de 2020 em um clube de tiro chamado Titanium. Por causa da imagem, o blog O Antagonista chegou a dizer falsamente que o presidente do PTB estaria “na cadeia” para a filiação do parlamentar, o que foi negado pelo mesmo.

Além de policial militar, Silveira também é professor de Muay Thay. Hoje com 38 anos, ele assumiu o seu primeiro mandato legislativo em 2019 e repercutiu no país após um episódio onde apareceu quebrando uma placa com o nome da ex-vereadora Marielle Franco, assassinada em 2018, durante uma manifestação no mesmo ano, meses após a morte dela, segundo a CNN Brasil.

Deputado quer fechar clubes de tiro e proibir armas até para colecionadores