A Polícia Federal é uma das instituições mais antigas do Brasil. Vinculada em caráter de submissão ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, essa organização ainda enfrenta muitos desafios no país no tocante à valorização dos seus funcionários.

O cenário mudou bastante após o surgimento da operação Lava Jato, em 2014. Nesse contexto, o Brasil inteiro tomou conhecimento da importância da Polícia Federal para a sociedade.

O Brasil acompanhou de perto, semanalmente e por vezes dias atrás do outro, o desencadeamento de operações da Polícia Federal nas diferentes fases da Lava Jato, o que tornou conhecido e mais próximo o trabalho dos policiais federais que que somam mais de 13 mil servidores, entre policiais e administrativos.

Um número de agentes federais considerado pequeno diante do tamanho e das inúmeras necessidades que tem o Brasil continental.

Queixas da Polícia Federal

A necessidade de valorização dos agentes federais que compõe o quadro de servidores da Polícia Federal não é uma novidade. Pelo contrário, esta é uma constatação que vem se arrasando ao longo dos anos.

“Mesmo com a pior remuneração de nível superior, entre todas as carreiras típicas de Estado, e sem reajuste salarial há seis anos, agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal têm trabalhado de forma incansável para ajudar a ‘passar o País a limpo'”, afirmou o Sindicato dos Policiais Federais de Brasília, já em 2012.

Desde então a valorização da Polícia Federal em forma de medidas em prol dos agentes federais não mudou muito.

Em 2016, por exemplo, o Sindicato Nacional dos Servidores do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal (SinpecPF) criou uma campanha para mostrar o dia a dia da categoria dentro das repartições.

O objetivo foi conscientizar a sociedade sobre os desafios enfrentados pelos policiais federais durante a carreira militar em serviço ao Estado.

“Somos responsáveis por manter a instituição em ordem, garantindo o sucesso de todas as operações e atividades da corporação”, resumiu na época Éder Fernando da Silva, presidente do SinpecPF, sindicato que representa a categoria, segundo informações do Correio Braziliense.

Concurso para a PF visa melhorias

Diante da desvalorização administrativa e política da Polícia Federal ao longo dos anos, algumas iniciativas foram implementadas para tentar melhorar a situação dos agentes federais durante o exercício da profissão.

A realização de concurso para a PF, por exemplo, tem como um dos grandes objetivos aumentar o quadro de servidores, a fim de aliviar a carga de trabalho dos agentes que já estão na ativa.

Não basta ter um bom salário na Polícia Federal, como muitos imaginam. Em termos de valorização, ter a capacidade de executar com qualidade os serviços de fiscalização, investigação e execução de ordens judiciais e vigilância, além da própria segurança, também dizem respeito à valorização profissional.

O policial federal que possui um bom salário, mas não tem equipamento adequado para se proteger diante de uma perseguição, por exemplo, é desvalorizado no tocante aos recursos de que precisa para realizar o seu trabalho e proteger a própria vida.

Segundo informações do Gran Cursos, a Polícia Federal ficou de comunicar a realização de um concurso neste ano de 2020, visando preencher vagas para agente, escrivão, papiloscopista e delegado! No total serão ofertadas 4.279 vagas!

Com o surgimento da pandemia do novo coronavírus, no entanto, a realização de concurso para a PF foi adiada, assim como outros certames. Ruim por um lado, mas positivo para quem deseja utilizar mais tempo para estudar.